Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A miúda do campo

A vida é um sonho de descobrir o mundo, o amor, de aprender a escutar para a verdade descobrir, de construir um baú cheio de sonhos transformados em memorias, nunca devemos de ter medo

A miúda do campo

A vida é um sonho de descobrir o mundo, o amor, de aprender a escutar para a verdade descobrir, de construir um baú cheio de sonhos transformados em memorias, nunca devemos de ter medo

20.11.20

A chuva era a única companhia daquela praça vazia


Sara Hilário

Tal como uma árvore onde as folhas caem no inverno e voltam  a nascer na primavera, esta praça em que a sua unica compalhia era a chuva também teve de renascer como o sol que se esconde e volta a nasce todos os dia é isso que vais ver nesta historia de renascimento perante a vontade de uma jovem e dos seus amigos dão uma nova vida e nemorias a praça. 

 

Diapositivo1.JPG

Diapositivo2.JPG

Diapositivo3.JPG

Hoje por uma estranha ocasião
Um caminho novo tive de percorrer
E mesmo ao virar da esquina
Deparei-me com uma praça
Uma praça vazia
Onde abundava a
Solidão.
Reparei que a
Mocidade desapareceu e deixou-a vazia
Hoje é a chuva
A sua única
Companhia
Daquela praça vazia
Por onde comecei a
Passar todos os dias.
Reparei que tem dias
Que nem a chuva aparece,
Mas a solidão comparece
Sem ser chamada.
Dá minha janela
Vejo pessoas que passam em
Seu redor
Como se não existisse.
O tempo esse passou por ela e  

Deixou as suas marcas,
Os bancos onde outrora
Moças eram pedidas em
Casamento,
Crianças brincavam ali.


Bem
A chuva pode ser hoje
A sua única
Companhia

Mas, por cada canto daquela praça
Memórias felizes encontrei
Felicidade por ali foi celebrada.

Sai de casa, estava chateada

de ver aquela praça
Simplesmente pela janela
Desloquei-me a praça
E de meu espanto
Encontro um velho casal
Que me contam o quanto foram felizes

E

Que foi naquele local debaixo
Daquela árvore
Que deram o seu primeiro beijo.
Foi então que se fez luz
Tive uma ideia
Corri até casa e foi
Buscar o meu lápis e papel
Para fazer companhia
Aquela praça vazia

E

ao mundo contar 
As belas histórias
Que aquela praça já
Viveu
E dá-la a conhecer ao mundo

Pois ali mesmo ao pé de mim
Estava uma praça vazia
Que foi um autêntico tesouro

De
Felicidade.
Foi a biblioteca mais próxima
Encontrar fotografias
Da praça de outros tempos
E para meu espanto
A praça que hoje em que
a única companhia
Era a chuva
Em outros tempos
Era um sítio de encantar
Poi isso

Peguei nas minhas economias
Juntei uns amigos
E todos juntos
Decidimos dar
A esta bela praça
Uma nova vida
Para que outras belas historias
Possam ainda ser contadas.

 

imagens neste post por: a miuda do campo 

Tens a oportunidade de conhecer todos os artigos por mim escritos para o blog Nós, Poéticos e Literários que nasceu de um suspiro. Como um poema em que tens a ideia e depois vais trabalhar com cuidado para não perder o traço.


descobre todos os textos

8 comentários

Comentar post